segunda-feira, 7 de julho de 2014

Clareza



Abres a mão. Olhas. Voltas a olhar. Não existe nenhum lugar para estar. Nem existe ninguém para lá estar. Não existe nem isto. Nem aquilo. Unicamente a pura consciência. A clareza do ser que se mistura com a clareza do não ser.