segunda-feira, 7 de julho de 2014

Dualidades





Hoje, duas queridas amigas de infância perderam a mãe. Aquela que as tornou irmãs. Profundamente irmãs. Existe, em cada uma delas uma dor na alma, indescritível, a dor da perda, a dor de se terem tornado infinitamente mais sós. Mas ambas sentem também um alivio, o alivio do sofrimento fisico que acompanharam e vivenciaram nos últimos tempos. Dualidades. Sim. Dualidades de um sentir que nunca deviamos sentir.