sexta-feira, 11 de julho de 2014

Infimos de tempo



Carlos Hilsdorf diz-nos que as grandes realizações são feitas de pequenas conquistas diárias. De tão pequenas que por vezes são, a imperceptibilidade impõe-se. Não reparamos nelas. Não as valorizamos. Mas, elas estão lá. E lá permanecem até ao dia em que algo ou alguém nos faz perceber que conquistámos mais um passo de vida. Nesse momento, que é por norma breve, olhamos de relance e vemos os pontinhos luminosamente interligados no mapa da vida. Nesse infimo de tempo sentimos a leve sensação das borboletas na barriga. E seguimos em frente. Sempre com a gratidão habitual.