quinta-feira, 17 de julho de 2014

Lightness



Poucos são os que percebem de mim. Os que me percebem na essência são os que partilham da mesma. São os que vivem caminhos similares. São as almas que optaram e na opção entraram numa viagem nem sempre fácil mas, fabulosa. Assim foi esta década. Árdua na alma. Violenta no corpo. Dez anos de apreensão de conhecimento superior. Dez anos que me tiraram tudo para que, em seguida, passo a passo, pudesse começar a recuperar o que me estava prescrito e um outro tanto que passei a desejar. Vivi momentos únicos. Na minha vida entraram e reentraram pessoas mágicas. E nela permanecem as que não se quiseram desligar. Consegui passar etapas que julguei impossíveis de ultrapassar. Subi na escada do EU, um patamar e depois outro e outro ainda. Hoje, pela manhã ao olhar para trás, percebi perfeitamente um número infinito de coisas. Rasgos de clarividência que fazem sorrir. Os últimos seis meses foram interiormente alucinantes. Esgotantes muitas vezes. Mas imprescindíveis para tudo o que me esperava e espera. Num mês terei mudado tanto que nem sempre me reconheço. Gosto desta pessoa. Gosto mesmo desta pessoa nova. Que os próximos seis sejam aquilo que secretamente guardo cá dentro agora. Grata. Sempre grata!!