segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Vida


A princípio, qualquer nova capacidade é um desafio. Exige determinação. Trabalho. Planeamento. Trabalho. Exige que nos focalizemos vinte e quatro horas se preciso for. E trabalho. É quase um ciclo vicioso. Só pensamos nisso. Só rezamos por isso. E corremos o risco de ficar chatos porque a partir de então cada célula de nós é aquele trilho. Não pode ser de outra forma. Podemos demorar meses e até anos a conseguir ter em nós essa nova capacidade e cada dia, mesmo naqueles em que parece que não, caminhamos para a obter. E o dia chega. Porque o dia acaba sempre por chegar. É nesse dia que percebemos que com essa nova capacidade abrimos um leque infindável de outras capacidades que queremos desenvolver. O caminho faz-se caminhando. Grata. Sempre grata.