sábado, 15 de novembro de 2014

Coisas importantes



 Na transversalidade do que vivi em dez anos, mais e acima de tudo, ficaram-me pessoas. Umas mais marcantes. Outra menos. Marcas registadas no ADN de tão importantes. Umas que entraram e saíram. Umas que chegaram de mansinho e foram ficando. Outras que tal qual um furacão deixaram tudo arrasado de tal forma que permanerão para sempre. Tenho-me dedicado a estar com estas pessoas pelas mais diversas vias. Conversas soltas onde recordamos, agradecemos, pedimos perdão, abrindo de par em par as portas da próxima década a uma luz que só pode brilhar nos corações limpos.  Os próximos tempos trarão mais encontros destes porque o saber estar com o mundo é um lugar que quero cada vez mais puro.