sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Dias


Dias em que só queremos um abraço fechado, de cura, que sabemos que não vamos encontrar. Dias nos quais levamos o corpo fisico ao limite, na esperança que ao fim do dia ele possa cair na cama e adormecer. Dias em que tudo é água dentro de nós pronta a brotar. Estes são também os dias nos quais precisamos que nada disto se note. Estes são os dias nos quais nos parece que temos de dar um pouco mais do que somos. Sempre com gratidão e perdão.