sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Escolher


Na medida exacta em que a consciência se expande, a luz assume um raiado de um fulgor ímpar. E entre o bem e o mal, entre o certo e o errado, aprendemos que o que conta é escolher o que nos faz sentir lá, naquele pico, naquele sitio onde, mesmo que morressemos nesse instante não teríamos disso sensação porque o extase assume as rédeas e durante aquele momento tudo é só e tão somente aquilo. E conseguimos inspirar e expirar no verdadeiro sentido basal.