terça-feira, 25 de novembro de 2014

Respirar


Encontrar o campo onde caminhar descalça. Onde sentir o fresco que entra a cada inspiração que ainda se faz com uma cadência lenta, muito lenta. Onde sentir o impacto do quente no frio  que se solta da expiração vagarosa. Onde se escute somente o som perceptível, apenas a poucos, da energia que se liberta das árvores. Onde possa ter a noção clara do campo áurico de tudo o que me rodeia. Onde possa ter a sensação de tudo o que comigo caminha para que a solidão não seja tão avassaladora. Este será um dos melhores presentes de aniversário. [ Não te esqueças de mim, querido Universo. ]