quinta-feira, 12 de março de 2015

Só ir, mesmo.




Por vezes, só é preciso ir. Só ir, mesmo, sem pressa de chegar. Com uma rota, que aceitamos poder alterar em caso de necessidade. Com um destino que sabemos querer e ser para nós. Com um caminho amorosamente preparado. Sentir os sorrisos. Suportar as saudades do que não vivemos. Absorver com amor tudo o que nos rodeia. Deixar para trás as mágoas. Aliviar os pesos. Criar distância das vozes que se levantam da maldade. Por vezes, por mais dificil que caminhar possa ser, só precisamos mesmo de ir. Passo a passo,devagarinho. Passo a passo, sem medo. Afinal, de que terá valido ter passado por esta vida sem que, de facto, a tenhamos vivido na sua plenitude?