sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

B O N D A D E #registosmuitopessoais [ porque isto não é um lifestyle blog ]



         
    



São 6.15 da manhã de dia 8 de Janeiro do ano da graça de 2016. A Madalena do Carmo dorme na almofada ao lado, ao som da chuva e ao ritmo da respiração desta doce filha preparo-me para escrever sobre algo que povoou parte dos meus sonhos. B O N D A D E . Sim, bondade. Por vezes em alturas atribuladas surgem [ sonhos ] que como nos encaminham para o que temos para agradecer. Pequenos lembretes do subconsciente. E foi assim esta noite. E de facto a vida trouxe-me e manteve-me pessoas de uma bondade ímpar . Trouxe e traz.  E quando temos a capacidade de experienciar sensorialmente, emocionalmente, essa bondade no seu todo temos também acesso a viver algo de uma preciosa singularidade. A bondade está a léguas da santidade. Na bondade cabe a travessura, cabem palavras assertivas e nem sempre macias, cabem sorrisos cúmplices, cabe a mais sonora das gargalhadas que só o humor mais icónico de todo o sempre é capaz de provocar.  A bondade é gratuita. Generosa. E aquieta. A bondade é também ela uma forma de amor.